Biografia do autor

"A Mediocridade não conhece nada maior do que ela mesma, mas o talento reconhece instantaneamente a genialidade."

Arthur Conan Doyle

 

Nascido num sábado, 28 de abril de 1979, no subúrbio do Rio de Janeiro, Gerson Machado de Avillez, desde tenra idade demonstrou talentos visuais fazendo desenhos com notável perfeição assim como um gosto para leitura e escrita quando ainda criança escreveu alguns poemas. Na adolescência participou da criação de um jornal no colegial para a universidade, 'O Ovo' onde escreveu textos nas primeiras edições. Apesar de ter feito até mesmo curso de desenho artístico no final da década 1990 e frequentado até salões de humor com chargistas como Arianauro um bloqueio psicológico tirou sua vontade voltando seu talento visual a fotografia e design onde exerceu como profissão num evento cultural das Lonas Culturais do Rio, um evento chamado 'Conversa Fiada' que ascendeu a destaque cultural na região e chegou lançar alguns ao estrelado na Tv. Posteriormente participou como fiscal de figuração na novela Avenida Brasil (2012).
Descendente de judeus sefardistas e do Conde Jorge Avillez que era parte das família do reino de Portugal, Gerson, escreveu seu primeiro livro em 2008 quando tinha 28 anos. Utilizando-se ideias e anotações antigas passou então a escrever obras originais ao contrário de seus primeiros livros de não ficção que limita-se a compilar temas de interesse. Tão logo surgiram suas primeiras teorias e hipóteses originais ainda como autoditada até entrar pra faculdade em 2014. Teve sua primeira obra de ficção publicada em 2012 a convite de José Carlos Ryoki o qual recebeu elogios, mas sem número aceitável de vendas por falta de divulgação. Posteriormente começou a publicar contos em sites e revistas digitais como Litera Livre onde teve um de seus contos 'O Poço Maldito' selecionado com um dos melhores de 2017. Participou do coletivo de autores malditos Maldohorror, Creepypasta, Primeiro Capítulo sendo diversas autor de destaque da Obvious Mag com artigos dos mais acessados, teve igualmente suas fotos em eventuais publicações como 'Duplas Aspas' assim como no Folha Universal e o jornal Extra. Tão logo despontou como finalista de diversos concursos literários como das editoras Kazuá e Ella e teve contos selecionados em antologias como 'Arte do Terror'. No ano de 2014 passou a integrar o Clube de Leitores de Ficção Científica. Fortemente inspirado em filmes dos anos 80 e Matrix (1999) assim como em autores como Philip Dick e H.P.Lovecraft utilizou experiências espirituais ou sobrenaturais que teve como cristão como fonte de inspiração de seus textos que oscilam da ficção científica ao horror cósmico. Cyberativista se tornou crítico social da corrupção e impunidade, algo refletido em seus livros assim como experiências obtidas pela discriminação e perseguição que sofreu desde a infância.
Até o ano de 2018 escreveu mais de 40 livros desde 2008 como indicativo de altas habilidades, ainda que considere apenas como obras de qualidade superior 22 livros. Teólogo e Pedagogo sempre demonstrou ter traços de autismo leve o que fora confirmado com um laudo em 2017.

 

"Não sou qualquer um, pois não sou uma cópia, não sigo clichês e normas, coloco-me acima do normal pois produzo acima do normal. Não sou qualquer um pois não trilho o caminho traçado, não escolho o que está no cardápio, não prolifero o mesmo da mesmice.

Não sou qualquer um, pois, sobretudo não sou tratado como qualquer um mas com diferença e acepção, mas só é feito a diferença quando não segue o que qualquer um segue, quando ando por onde ninguém andou, quando é feito o que ninguém fez, quando se cria o que jamais fora criado antes, só não é qualquer um quando se é autêntico, original.

(...) na massa paira o vulgo, no indivíduo o singular, minha mente anda por onde nunca se andou, minhas mãos escrevem o que nunca fora escrito, mas qualquer um, esse sim é um plágio. Então qualquer um pode me chamar de qualquer um pois como cópia me acha espelho quando é ele quem me copia. Sou Gerson Machado de Avillez, tenho identidade, tenho história, tenho DNA, não sou um vulto a se esgueirar!"

Trecho dos apêndices de "Sombras dos Tempos" .

 

Dados dos livros em números (até 2015):

- Total aproximado de páginas em A4 time new roman 10: 6000 páginas.

- Aproximadamente 46 projetos de livros.

- cerca de 43 projetos de Livros finalizados - 20 de ficção e 10 de não ficção.

- 10 Projetos em construção

- 25 livros revisados pelo autor.

- 30 registros na BN

- Período do trabalho: de 2008 à atual (2018), argumentos desde de 2000.

- Horas aproximadas só de escrita: 800, em dias ininterruptos aproximadamente 37. de treinamento aproximadamente 10.000.

Adormecidos (2011)

Publicado em parceria com José Carlos Ryoki em 2011, o original e mais importante dos livros da série 'Universo Ofir' nos apresenta a um futuro distópico improvável onde a humanidade decadente mergulha em seus próprios sonhos como escapismo a uma realidade cruel e possivelmente dominada por alienígenas. Somos apresentados ao mítico personagem Hedi Ofir que investiga um crime onírico ocorrido nos corredores de uma empresa produtoras de sonhos para descobrir que mesmo ele fazia parte de um experimento e que sua caça na realidade é uma busca por si mesmo ante um misterioso projeto entitulado 'Oneiros Kronos' que pode dar respostas sobre a natureza de sua realidade. Filosofia e ciência mesclam-se numa das obras prediletas do autor, neste tendo a premissa de que ao dormir despertar-se a outra realidade.

Síndrome Celestial (2013) 

Publicado pela editora Multifoco o a história do livro começa após decifrarem na estática dos televisores dos primórdios do tempo o sinal de uma nave a muito desaparecida, outra nave é mandada indo parar, porém, entre uma raça humanóide escravizada por aliens muito avançados tecnologicamente, mas que tem vantagem em supremacia por poder mental muito superior. Após serem presos numa lua prisão (a lua das trevas dentre duas de Orion) fogem com auxílio dos rebeldes indo parar num mundo em meio a milenar tempestade onde experimentos realizados visavam ter o poder de Deus da singularidade de origem do tempo. Ao descobrir estar no longínquo futuro do qual a terra deu origem a tais espécies, resta apenas ao único sobrevivente encontrar a singularidade e personificação dos paradoxos (que alguns veem por Deus) para derrotar o cruel ser que deseja se tornar como Este. O nosso protagonista então descobre que os próprios alienígenas são eles, e ele mesmo enviou a mensagem a Terra cifrada.